fbpx

Em minha trajetória profissional como recrutadora, conversei com milhares – sim milhares – de profissionais em busca de uma oportunidade de emprego. Muitos aos se definirem utilizavam jargões da moda como adaptabilidade, organização, resiliência, dentre muitos outros. E um dos queridinhos do momento é proatividade.

E de fato, os que usam esse adjetivo estão certos, é uma das qualidades mais desejadas hoje entre meus clientes, pois estão em busca de profissionais que agem antecipadamente, evitando ou resolvendo situações e problemas futuros.

Só que constar no currículo não é o suficiente, ou seja, “não basta ser tem que parecer”, como diria o imperador Júlio César, referindo-se à sua esposa ao decidir divorciar-se dela só pela possibilidade dela ter cometido adultério.

O profissional também precisa parecer, deve demonstrar aos entrevistadores essa qualidade no decorrer do processo seletivo, pois o que diz que será
validado o tempo todo durante sua avaliação.

Vou te contar alguns erros que podem derrubar logo de cara sua afirmação de que é uma pessoa proativa:

1) Em qualquer momento da entrevista, responsabilizar os outros por seus resultados. Exemplo: “Não fiz a redação, pois vocês mandaram o convite muito em cima da hora”. 😕

2) Chegar atrasado por ter dificuldades em encontrar o local da empresa; 😕

3) Deixar para preencher o formulário de cadastro de emprego no local, sendo que foi solicitado para enviar antecipadamente; 😕

4) Ignorar a solicitação de confirmação de presença. 😕

5) Demonstrar apatia e desinteresse na hora da entrevista ou dinâmica. 😕

Talvez você pergunte o que isso tem a ver com proatividade e eu te respondo prontamente, tudo. O profissional proativo que se antecede e resolve
problemas é um profissional ágil, dinâmico, curioso e determinado a apresentar soluções e ainda, assumir os próprios erros.

Nós recrutadores e nem os empresários temos o mínimo interesse em agregar em nossa equipe profissionais queixosos e apáticos, entende-se que
se na entrevista se apresenta dessa forma, imagine na rotina laboral.

Portanto, esteja atento ao descrever-se como de fato é. Caso não tenha ainda as habilidades que o mercado precisa, pode simplesmente pesquisar o
que precisa desenvolver ou ainda pode participar do nosso Workshop onde apresentamos essas ferramentas e direcionamos os profissionais a criarem
diferencial competitivo.

Proatividade é mais que uma tendência, deve ser um estilo de vida, pois ter ação em vez de reação cria diferencial no mercado de trabalho, bem como em outros âmbitos de sua vida.

Grande abraço.

Cláudia Abel

Cláudia Abel

Especialista em Gestão de Pessoas e Coach de Carreira

Leave a Reply